Publicidade

Economia

Casa pode ter parcela 30% mais alta para o comprador

POSTADA EM: 31/12/1969  |  POR: (Folhapress)

Foto: Eduardo Saraiva/Governo do Estado de São Paulo

 

O aumento na taxa de juros do financiamento da casa própria, anunciado pela Caixa Econômica Federal (CEF) anteontem, pode fazer que as primeiras parcelas fiquem até 30% mais caras, segundo especialistas ouvidos pela reportagem.
O banco público elevou os juros do financiamento de imóveis com recursos oriundos da poupança. A estratégia pode esfriar ainda mais o mercado, uma vez que o crédito mais caro inibe a demanda.
“O financiamento sai de uma taxa de 9,90% para 11,22% ao ano. Pode parecer pouco, mas é capaz de aumentar as primeiras prestações mensais em até 30%, já que nas primeiras parcelas o peso dos juros é grande pela tabela SAC”, afirma Paulo Porto, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV).
Na tabela do Sistema de Amortização Constante (SAC), mais utilizada no mercado, o valor das prestações cai ao longo do tempo e os juros incidem sobre o valor total devido - que é maior no início.

Explicação

É a primeira vez neste ano que a Caixa aumenta o juros do financiamento. A última vez havia sido em outubro do ano passado.
Segundo a própria instituição, a alta está associada ao aumento de custos e ao comportamento dos depósitos na poupança, que vem pendendo recursos mensalmente.
O banco informou também que a alta ocorre “parte por falta de demanda, parte por restrições do próprio orçamento”.
“Nem os bancos públicos estão conseguindo segurar os juros. É reflexo do que a gente está vivendo hoje, o dinheiro está mais caro. O mercado fica desaquecido e também restringe a demanda”, afirma o economista da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) João Ricardo Mendes.
Há três semanas, a Caixa havia aumentado o limite financiado de imóveis usados – iniciativa essa que, na visão do próprio banco federal, não é oposta à anunciada nesta segunda-feira.
“Não existe correlação entre elas. A elevação da cota é para facilitar a compra do imóvel, e a elevação da taxa de juros é uma adequação de mercado”, informa o banco em nota enviada por e-mail.
Com 68% do mercado, a Caixa serve de piso para o restante do setor. Por esse motivo, economistas preveem que os bancos privados devam seguir o movimento. “Agora os outros bancos vão seguir o mesmo caminho e também aumentar as taxas”, afirma Porto.

 

Crédito mais alto pode diminuir demanda (foto)

Publicidade

Pesquisa avançada

FINANCIAMENTO

SIMULAÇÃO CAIXA FEDERAL

MINHA CASA MINHA VIDA

OUTROS TIPOS DE FINANCIAMENTOS

CORRETORES CADASTRADOS

DICAS

CONTATO

COMERCIAL

REDAÇÃO